6.8.17

SINFONIA DA MEMÓRIA - PARTE XXVII



- Faço qualquer coisa, para descobrir o que se passou.
- A minha ideia é a seguinte. O senhor vai apresentar-se na terra. Vai dizer que foi atropelado, esteve hospitalizado, apaixonou-se pela enfermeira que cuidava de si, e deseja casar o mais rápido possível. Esperamos que ao sentir que com o casamento, a herança lhe fugirá de vez, o Joaquim faça alguma coisa. E aí temos a prova que precisamos para o apanhar. É um risco, mas é um risco relativo. A enfermeira que estará sempre consigo, é uma das nossas melhores agentes, e para além dela, temos já na Povoa, dois agentes, atentos a todos os movimentos do suspeito. Claro que terá que obedecer rigorosamente ao que a sua “noiva” lhe disser. Tem que ter presente, que qualquer atitude irrefletida da sua parte, pode por em risco não só o nosso plano, como a sua vida.
- Cumprirei à risca o que me for indicado. E quando devo começar?
- Faltam dois dias para o Ano Novo. Que tal no dia dois. Pode ser?
- Por mim até podia ser já. Não vejo a hora de ver isto resolvido. E a polícia americana, já foi avisada?
- Já os pusemos ao corrente do que se passa, e pedimos para não divulgarem a notícia do seu aparecimento até acabarmos a investigação. Sabemos que as televisões estão a seguir o caso, e não queremos que a notícia seja divulgada antes de tempo.
- Mamã, tenho fome! – Reclamou o pequeno Diogo, irrompendo na sala.
- Vamos já lanchar, filho. Desculpem-me – disse levantando-se e dirigindo-se ao menino.
O Inspetor levantou-se.
- Também já acabei. Desejo-vos uma boa passagem de ano, - disse estendendo-lhe a mão. 
- Obrigado. Desejo-lhe o mesmo, - disse ela retribuindo o cumprimento e seguindo com a criança para a cozinha.
Fernando acompanhou-o à porta e aí se despediram:
-Feliz Ano Novo, inspetor
- Feliz Ano Novo, Fernando. E os meus parabéns. O senhor é um homem muito rico.







10 comentários:

✿ chica disse...

Puxa! Um plano bem montado,mas acho que não deve ter agradado muito à verdadeira doutora...Acho que está temerosa... Vamos aguardar...beijos, chica

Tintinaine disse...

O Fernando, se calhar, preferiria ouvir dizer "você é um homem muito feliz", em vez de "você é um homem muito rico". Raras vezes a fortuna traz com ela a felicidade.

Roaquim Rosa disse...

bom dia
penso que o plano vai resultar embora nunca se saiba o que vai na cabeça da autora.
o Fernando é um homem rico e vai ser ainda muito mais quando tiver uma família com quem possa viver o resto da vida e recuperar a sua memória.
continuação de um bom fim de semana.
JAFR

Os olhares da Gracinha! disse...

Será que resulta!?
Bom domingo

aluap Al disse...

Creio que vai acontecer alguma coisa entre eles antes de se apresentar na terra, talvez na passagem d´ano.
Passe um bom domingo.

Anete disse...

Retomando por aqui e vendo os últimos acontecimentos. Muito suspense e promessas de dias felizes.
Veremos as boas novidades brevemente, depois de todos os "pingos nos is"...

Continuação de maravilhosas férias. Aproveite muitíssimo... Bjs

Edumanes disse...

Depois de ter lido mais este capítulo da Sinfonia. Continuo a pensar na armadilha que o inspector, quer armar para, nela, caçar o suspeito. Até certo ponto está bem pesando. Mas, se calhar vai causar ciúmes à doutora?
Tenha um bom dia de domingo, e continuação de boas férias amiga Elvira, um abraço.
Eduardo.

Pedro Coimbra disse...

Boa semana, continuação de boas férias.

Rosemildo Sales Furtado disse...

Plano muito bem bolado, apesar do risco, vale a pena.

Abraços,

Furtado

redonda disse...

Ela poderia fazer de enfermeira...

mas o melhor era inventarem que ele ia reconhecer os seus vinte e três filhos de mães diferentes e espalhados pelo mundo, todos seus herdeiros, para que o afilhado desistisse de o matar...